A importância da Atenção Farmacêutica nas doenças psicossomáticas

A importância da Atenção Farmacêutica nas doenças psicossomáticas

É muito importante iniciarmos este artigo diferenciando o processo psicossomático do psíquico. Psíquico, quando o cérebro estimula alguma região em si próprio, provocando sintomas como: dores de cabeça, alucinações, temores, dificuldade de concentração, dificuldade em lidar com as situações do cotidiano, insônia, taquicardia etc. Psicossomático, quando o cérebro estimula alguma região do corpo acrescentando ou somando alguma sensação ou sintoma aparentemente inexistente, como por exemplo uma dor, aumento de temperatura, contratura muscular, diminuição ou aumento de humores etc., e o corpo responde às emoções com sintomas que se expressam nele mesmo. Existem doenças que provavelmente são respostas à situações psicossomáticas como a psoríase, fibromialgia, úlcera gástrica, vitiligo, dentre outras.

Obviamente, muitos dos sintomas acima descritos podem estar relacionados tanto com um processo psíquico quanto um psicossomático. O mais importante é esclarecer que os psicossomáticos não costumam se encaixar em diagnósticos aparentemente bem explorados e criteriosos por não possuírem uma explicação clínica clara e objetiva. Para situações neuropsíquicas, geralmente o paciente é encaminhado a um especialista da área em questão. Ao farmacêutico, nada mais resta do que aviar a receita prescrita. No caso de paciente psicossomático, este, provavelmente, será encaminhado a um psicólogo ou psicanalista. Porém, apesar de já receberem acompanhamento médico ou terapêutico, medicamentoso ou não, muitos são os pacientes psicossomáticos que não se contentam apenas com isso e insistem na automedicação.

Não é de hoje que o balcão de uma farmácia parece com um "muro de lamentações", de pessoas sem saída, sem resultados obtidos com os mais diversos tratamentos, esperançosos que alguém enviado por Deus possa lhes dar um "rumo" em suas vidas, já quase sem sentido. Somente quem passa por doenças de cunho psicossomático sabe do significado destas palavras. É uma verdadeira guerra contra si mesmo, contra um inimigo que não conhecemos e nem sabemos sua procedência, que invade nosso corpo de forma brusca e inesperada ou se instala sorrateira e avassaladoramente, nos fazendo parecer aquilo que não somos, nos deixando sem controle de nossos corpos e de nossos sentimentos.

Todos nós, profissionais de qualquer área do conhecimento, temos o dever de nos preparar dentro das nossas limitações de ação, a fim de corresponder aos anseios daqueles que necessitam de nossos serviços ou produtos. Podemos ajudar ao próximo a fazer suas escolhas baseadas em nosso conhecimento, este não somente empírico ou até mesmo leviano, mas baseado em conhecimentos e experiências adquiridas ao longo da nossa formação acadêmica e profissional. Quantos são os pacientes que encontraram seu caminho com uma boa orientação profissional, sincera e inequívoca, capaz de levar organização de fora para dentro a uma mente desarmonizada e conturbada.

O farmacêutico é capaz de distinguir se o paciente está com sintomas psicossomáticos ou psíquicos, pelo seu histórico, medicamentos que utiliza, pela quantidade e variedade de profissionais que frequenta ou que já frequentou, pelas suas queixas frequentes, por seu comportamento, pelo relato dos parentes, pelo seu olhar... A farmácia sempre foi e é um ponto de contato entre o paciente e o fármaco e entre o fármaco e o prescritor. Um farmacêutico sem as habilidades necessárias para humanizar um atendimento no momento da compra faz com que a farmácia perca o seu maior legado: fidelidade aos preceitos da honestidade, da caridade e da ciência.

Adilson Campos de Jesus
Farmacêutico - CRF/DF: 5517

..........



Visitantes até 5 de julho de 2017: 3.378.076 - Fonte: UolHost

WhatsApp! (61) 99162-4619
camiloalencar@gmail.com